Skip to content

Mudança de dominio

Agora começarei a escrever na versão de dominio próprio desse site. Quem quiser conferir:

 

http://www.caiogomes.com.br

RIP Neil

Hoje aquele que foi parte do sonho de qualquer criança não está mais entre nós.

Não consigo acreditar que mesmo hoje existem pessoas que não sabem quem foi Neil Armstrong. 

Divulgação Científica, Nerdcast e algo mais

O nerdcast foi ao ar! Depois de dois dias vendo a recepção posso fazer alguns comentários sobre isso.

Eu fiz muito tempo divulgação cientifica. Moderei e postei ativamente na comunidade física do Orkut. Mas descobri nessa gravação como é dificil explicar algo técnico sem um roteiro prévio. No orkut, ou no blog, sempre tinha um longo tempo pra lapidar o post de maneira que ele ficasse claro mas sem desrespeitar os detalhes técnicos.

No caso do nerdcast não tinhamos essa chance. Como não existe um roteiro prévio, o rumo da conversa não é pré definido. O resultado final depende de onde a conversa vai. E sem um preparo prévio, me vi abrindo mão de detalhes ‘importantes’ para explicar a física. Agora respeito mais os caras que dão entrevistas. É foda.

 

Mas outro detalhe que é foda é que, apesar dos comentários terem sido fortemente positivo (para minha surpresa), tem algumas pessoas que falaram que não entenderam nada. Toda vez que eu vi isso fiquei pensando onde poderíamos mudar o discurso para fazer a pessoa entender algo. Mas não consigo. Acho que não ter um ponto compreensivel é um pouco demais. Acho que houveram momentos claros pra qualquer pessoa entender.

 

Confirmam isso? Ou estou louco?

Alo criançada, o NerdCast chegou!

Epa! Hoje minha vida de divulgador cientifico chega a um novo máximo.

É tio Caio no nerdcast sobre Higgs!

Vejam Ae!
http://jovemnerd.ig.com.br/nerdcast/nerdcast-324-alo-criancada-o-boson-chegou/

The Dark Knight Rises e a Bolsa de valores

Como sempre, quem quer ver crítica sobre o filme, recomendo o Cinema Em Cena ou o Pipoca dos Outros

(Spoiler Zone)

O momento da grande virada no TDKR é a invasão da bolsa de valores de Gothan. Lá que vemos os planos do antagonista e que leva o Bruce Wayne a se movimentar novamente e, no fim, a sua falência. 

Mas é algo que não faz nenhum sentido. Vamos ver: no dia que a bolsa de valores é invadida, surgem milhões de trades feitos pelo Bruce Wayne. E resolvem, do nada, aceitar que foi ele que fez aquilo. Uma falta de luz já dá confusão sobre cancelamento de trades. A invasão da bolsa, com refens por horas e um negocio completamente doido, por outro lado, foi deixado como um dia normal.

 

Teorias, leis, hipóteses and all that jazz

Mas isso é só uma teoria!

Essa é a frase que qualquer cientista mais ouve em conversas com leigos.  O conhecimento comum é de que uma teoria é algo menor, e isso é utilizado como um se isso transformasse em algo menor(é muito comum os biólogos ouvirem isso em relação a Evolução ou os físicos em relação a Mecânica Quantica ou a Relatividade).

No entanto, para um cientista, uma teoria é o máximo que algo pode ser. Uma teoria é um conjunto de afirmações que geram previsões falseáveis (ou seja, que pode-se fazer um experimento para verificar se ela é falsa), em um intervalo de validade ( um conjunto de condições onde ela funciona). Só isso já é uma diferença da maneira que o termo é utilizado fora da academia: enquanto para um leigo uma teoria é um chute, algo que não tem comprovação, para um cientista uma teoria é um conjunto de afirmações testáveis, que gera previsões válidas em um determinado conjunto de condições.

Outra confusão muito comum é diferenciar uma Lei Cientifica de uma teoria. O termo lei parece dar uma força maior àquele grupo de regras. Novamente, para um cientista, uma lei não é nada além de uma teoria. Não existe diferença de força, ou de nível de comprovação entre elas. É comum se chamar a mecânica newtoniana de Leis de Newton e a mecânica relatistica de teoria da relatividade. E como um resultado conhecido na comunidade cientifica, a mecânica de Newton é um caso especial que a mecânica relativistica. Quer dizer, está contida na teoria criada por Einstein. Quando se faz previsões no dia-a-dia, os resultados cálculados pela mecânica newtoniana são precisos. Quando se passa a condições extremas (por exemplo grandes velocidades ou campos gravitacionais muito fortes) elas divergem dos resultados e passamos a utilizar a mecânica de Einstein.

Isso significa que as Leis de Newton estão erradas? Não. Simplesmente sabemos que existem condições onde podemos utiliza-las, e onde suas previsões são condizentes com os experimentos.

Uma teoria portanto é:

– um conjunto de afirmações que geram uma explicação sobre um ou vários fenomenos
– além das explicações gera um conjunto de previsões testáveis
– algumas dessas previsões são testadas e verificadas como válidas

Isso é importante. Essa confusão faz com que a teoria da evolução seja descartada como só uma teoria, enquanto nos laboratórios são vistos todos os dias detalhes de mecanismos evolutivos, ou sobre mecanismo de seleção de features do DNA de bactérias. Ou que o modelo do Big Bang seja também descartado, mesmo dando resultados precisos sobre a anisotropia da radiação de fundo, sobre proporções de elementos no universo ou sobre os mecanismos de formação das galáxias.

E esse é o estado atual. Pode-se aparecer algum modelo que faça previsões melhores que a evolução? Sim, com certeza. Mas nunca mudará o fato que existem centenas de casos onde a evolução já foi testada e produz resultados confirmados por experimentos. E qualquer teoria nova terá que se comportar como a evolução se comporta nesse caso.

E ela é, e continuará sendo o que todo modelo cientifico mais almeja ser. Só uma teoria.

Citação

May the fourth be with yo…

May the fourth be with you

Feliz Star Wars Day

Marcelo Tas, a poupança e besteiras sobre finanças

É incrível como o Marcelo Tas ( @marcelotas ) não dá uma dentro em finanças. Sério: Em três anos que leio o twitter dele acho que ele nunca falou algo que prestasse sobre finanças. Hoje cedo foi a seguinte:

MarceloTas
Deu a lógica do sistema financeiro: para reduzir juros quem leva a pior é a poupança do povo
03/05/12 13:40

Faz tão pouco sentido isso…

A poupança (no sentido de caderneta de poupança, não de savings accounts ) é um dos investimentos mais bizarros que existem. Ele é tratado como um depósito a vista (ou seja, o banco tem que depositar uma parcela dele no banco central ) e o resto não é utilizado para nada além de financiamento imobiliário. Isso é ruim para o governo: Quando você compra um titulo do governo (como o famoso tesouro direto), o que está acontecendo é que você empresta dinheiro para o governo, e ele pode utilizar da maneira que quiser este dinheiro. Se a poupança se torna um investimento vantajoso em relação aos outros, a quantidade de títulos comprados do governo ia diminuir, e assim a capacidade dele de se financiar ( e assim continuar diminuindo os juros )

Mas a coisa mais bizarra no comentário do Tas é a seguinte: existem diversos investimentos diferentes da poupança que estão disponiveis ao pequeno investidor.

  • Tesouro direto tem valor mínimo de 200 reais
  • Diversos banco oferecem CDBs com valores mínimos de investimento

Só esses dois já servem como substituto da caderneta de poupança, com a grande vantagem do rendimento ser diário (todo dia o dinheiro é creditado na conta) e não somente uma vez por mês, como é na caderneta. E para o governo todos esses são indexados a coisas que ele pode controlar ( ou a taxa básica de Juros ou a um indice de inflação).

Ou seja, o comentário do Tas é errado e mal informado. Existem vários investimentos para o pequeno poupador (ou para o “povo” como ele fala). E invocar o medo de um plano Collor (que não é o que acontece agora) é claramente mal intencionado.

Uma brincadeirinha com utilidade publica

Domingo teve todo o rolo da falencia do Star Hosting. Muita gente perdeu todos os posts de blogs de anos de existencia.

Ontem a noite, fiquei pensando em quantas linhas de codigo consegueria escrever um programinha pra recuperar o feed de quem ficou sem o servidor. Já que escrevi o programa pra testar a ideia, vou deixa-lo aqui pra quem precisar realmente recuperar o feed do site que perdeu.

Ele faz duas coisas: Varre todo o feed RSS guardado do google e busca todos os posts que foram divulgados completos (ou seja, quem usava summary nao funciona).

Para todos os casos, eu verifico se existe um cache do google. Se ele existe, copio a ultima versão do cache e salvo também.

 

Pra poder usar a estrutura do Google, preciso de um login no google. é isso que ele pede no inicio.

A esturutra dos diretórios fica entao

c:\recover\feed -> o que veio do feed

c:\recover\cache -> oq veio do cache do google.

Eu testei o programa aqui, no blog Moshaboom e no Azilator. Aparentemente, funcionou.

Programinha pra download

A taxa de juros e o valor do dinheiro

Antes de passar a falar um pouco do mercado de capitais, precisamos clarear um pouco mais as noções de como o dinheiro muda de valor no tempo. No ultimo post, apresentei rapidamente a ideia que,para comparar dois preços em tempos diferentes é necessário traze-los a um instante comum. A comparação em instantes diferentes feita diretamente não faz sentido nenhum.

Nos jornais sempre ouvimos falar de taxa de juros, inflação, juros reais. Mas o que cada uma delas significa? E principalmente, qual delas devo usar na hora de comparar valores em momentos diferentes de tempo?

Quando se empresta dinheiro para alguém, essa pessoa terá q pagar um valor extra no futuro: é o valor do dinheiro que mudou. Mas além disso, existem fatores que tem que ser levados em conta, já que o tomador do dinheiro pode não atrasar o pagamento, ou mesmo nunca mais devolve-lo. E como é uma operação financeira, existem impostos que devem ser pagos. E no fim das contas, o emprestador do dinheiro também quer receber alguma vantagem pelo empréstimo. Isso faz que o valor pago pelo tomador seja bem maior que aquele pego inicialmente. A essa diferença paga que chamamos de juros.

A taxa de juros então é composta por três fatores “principais”

Juros = Mudança de valor do dinheiro + valores legais + fatores de risco sistemáticos

A mudança de valor do dinheiro no tempo é a  inflação. Já os outros dois termos compõem o que os economistas chamam de juros reais. Isso até agora é somente taxonomia. Vamos entender melhor um pouco como é feito na realidade.

O governo, através divulga a taxa de juros SELIC, a cada três meses. Uma maneira que o governo usa para se financiar é emprestar dinheiro dos bancos brasileiros. Como o governo, pode, a rigor não pagar esses bancos novamente, ele define uma taxa de juros que pagará por esses empréstimos.

Agora sabendo um pouco melhor o que são taxa de juros, podemos voltar ao post anterior e corrigir uma simplificação que foi feita. Lá, eu utilizei a taxa de inflação como taxa de comparação do dinheiro em diferentes momentos do tempo. Foi uma simplificação didática, já que podemos observar a pergunta feita de outra maneira:

Se alguém oferece um pagamento para você com duas escolhas. Receber

  • 1.000.000,00 reais imediatamente ou
  • 1.090.000,00 reais em um ano ?
Qual que você escolheria?
Receber o dinheiro em um ano não significa ter acesso ao dinheiro somente em um ano. Uma pessoa que tem acesso ao mercado financeiro (ou seja, qualquer um que tem contas em bancos) poderia fazer um empréstimo hoje e paga-lo no futuro com o dinheiro oferecido. Assim, você compararia o oferecido hoje com o valor oferecido no futuro com a taxa de juros deste empréstimo, no lugar de usar simplesmente a inflação.
Logo, a questão acima pode ser reescrita da seguinte maneira (imagine que a taxa de juros é 10%)
  • receber $1.000.000,00 hoje
  • pegar um empréstimo de $990.909.1 na data de hoje e paga-lo em um ano com $1.090.000,00

colocando a pergunta desta maneira, a resposta é obvia: é melhor escolher o $1.000.000,00. Da mesma maneira se a taxa de juros fosse somente 5%, a pergunta seria

  • receber $1.000.000,00 hoje
  • pegar um empréstimo de $1.038.095,00 na data de hoje e paga-lo em um ano com $1.090.000,00
Assim, a maneira de se verificar o valor do dinheiro no tempo se torna correta: sempre deve se utilizar a taxa de juros disponível para o projeto que está sendo analisado, no lugar de uma taxa de inflação geral para toda a economia.
Empresas tem que tomar essas decisões o tempo todo: Uma loja prefere receber um pagamento a vista, dando um abatimento para o cliente ou receber um valor parcelado no futuro? Para decidir isso, a loja estima o quanto ela pode ganhar reinvestindo o dinheiro a vista. Se o valor for menor que o desconto pedido, ela não aceita. Se for maior, ela aceita o desconto.
Isso é basicamente o que vamos precisar saber sobre o valor do dinheiro no tempo para falar um pouco do mercado de capitais. Com esse conceito entendido, podemos entrar um pouco mais no assunto propriamente dito.

%d blogueiros gostam disto: